quinta-feira, 19 de maio de 2011

Hoje conhecemos o relatório da analise feita ao Zé Pedro. Não tinha quaisquer mal formações externas ou internas. Estava ainda imaturo, é certo, mas bem. Pesava 561 gramas e 30 cm de comprimento total, o pé media 4,2 cm. Tinha 23 semanas e dois dias... Era tão grande e faltava tão pouco!

Ao que parece, o Zé terá morrido durante a expulsão. Incompetente é pouco. É um filho da puta de um colo do útero!

Amo-te para sempre Zé!

A minha realidade

O que significa ter insuficiência istmo-cervical? 

Ter insuficiência (ou incompetência) istmo-cervical quer dizer que seu colo do útero é mais fraco que o normal, ou que sempre foi mais curto, e que tende a dilatar e afinar sem que haja contrações, só pelo peso do bebê. O grande problema é que a dilatação pode acontecer rápido demais e o bebê nascer muito antes do tempo, ainda no segundo trimestre, quando ainda não tem condições de sobreviver fora da barriga, com menos de 20-22 semanas. É o chamado aborto espontâneo tardio. 

Ou então o parto pode acontecer já no terceiro trimestre, mas o bebê ainda é muito prematuro (com menos de 32 semanas de gravidez), o que pode causar problemas à saúde dele. 

Como vou saber se meu colo do útero é fraco ou não? 

Normalmente, o maior indício é já ter sofrido um aborto tardio ou um parto muito prematuro, sem que houvesse outras causas. O ideal é que, depois da experiência, e antes de engravidar de novo, a mulher converse com o ginecologista e investigue o problema. Se o diagnóstico for feito antes da gravidez, será mais fácil administrar o caso e pensar em procedimentos que evitem perdas (leia o próximo item). 

Se o médico considerar que você corre risco de estar com insuficiência cervical, pode pedir ultra-sons transvaginais desde o começo da gravidez para medir o comprimento do colo do útero e procurar sinais de "apagamento" (afinamento). Quanto mais curto estiver o colo do útero, maior é a possibilidade de haver parto prematuro ou aborto tardio, dependendo do tempo de gravidez. 

Caso o médico detecte incompetência cervical, pode tomar algumas providências, embora os tratamentos sejam controversos. 

Quando a dilatação é observada no terceiro trimestre, o obstetra pode receitar injeções de corticosteróide para ajudar a amadurecer os pulmões do bebê, e orientar a mãe a ficar em repouso absoluto, deitada, para evitar que o colo do útero sofra a pressão do peso da criança. 

Ouvi dizer que dá para costurar o colo do útero. É verdade? 

Sim. Existe um procedimento chamado cerclagem, ou ainda circlagem, que ajuda a manter o colo do útero fechado. Ele é mais eficaz quando feito em mulheres que sabidamente já sofrem do problema, ou seja, que já tiveram mais de um aborto tardio ou parto prematuro sem explicação. Nesse caso, a cerclagem é feita entre 13 e 16 semanas, antes que as alterações no colo do útero sejam muito visíveis. 

Fazer a cerclagem depois da detecção da insuficiência istmo-cervical é mais controverso, porque alguns especialistas alegam que, além de poder não funcionar, o procedimento traz riscos que podem acabar provocando o próprio parto prematuro: infecção, ruptura da bolsa e irritação do útero, causando contrações. Médicos e cientistas ainda estão tentando concluir se os benefícios superam ou não os riscos. 

Como é a cerclagem? O que acontece depois? 

A cerclagem é feita no hospital, com anestesia, e muitas vezes a mulher pode ir para casa no mesmo dia. Ela pode receber, pela veia, medicamentos para inibir contrações, durante algumas horas. O médico receitará repouso nos dias seguintes, e é possível que você sinta um pouco de cólica ou tenha um leve sangramento. 

As relações sexuais ficarão proibidas, por um tempo ou pela gravidez toda. Provavelmente você vai tomar remédios para evitar infecções ou parto prematuro, e será acompanhada atentamente até as 37 semanas de gravidez, quando os pontos serão retirados. A partir daí, pode ficar tranquila para esperar o trabalho de partocomeçar sozinho. 

É possível que seu médico recomende repouso. Não há provas contundentes de que permanecer na horizontal impeça o trabalho de parto, mas a intenção é aliviar a pressão do peso do bebê sobre o colo do útero. 

Quem corre mais risco de ter insuficiência do colo do útero? 

São motivos para ter atenção especial ao colo uterino: 

• Se você já sofreu um aborto espontâneo no segundo trimestre, ou teve um parto prematuro sem causa aparente. 

• Se você já se submeteu a um procedimento para retirada de lesões pré-cancerosas no colo do útero, como a conização ou biópsia em cone, ou uma cirurgia denominada "de alta frequência". 

• Você teve alguma lesão no colo do útero num parto anterior ou numa curetagem, ou fez aborto. 

• Você tem um colo do útero anormalmente curto.

terça-feira, 17 de maio de 2011

AJ - 2 anos

Sou indecente. Não assinalei aqui os dois anos da AJ. A Ana João fez dois aninhos no dia 29 de Abril e está uma mulherzinha. Fraldas só à noite, falar é pelos cotovelos (e bem) e a partir de hoje dorme sem grade na cama. Está farta de camas de bebés e os pais fizeram-lhe este mimo.

A conversação é, de facto, o que mais apetece sublinhar. Tem cada vez mais vocabulário, já faz pequenas frases, ainda que sem verbos ou artigos, e repete tudinho. Quando chega a casa já conta o que se passa na escola. Por exemplo, hoje contou-me: "Tiago, pão, chão". E eu perguntei: "E a Bela, o que fez?", "Ralhou", disse ela. "E a Teresa?", perguntei. "Ralhou, Gabriel". "Porquê?" (eu) "chorar, gaveta", respondeu-me...
Aos poucos isto vai lá!

Está no percentil 90 de altura, com os seus 89 cêntimetros e o médico achou que ela vai ser alta. Disse ainda que ela está 8 estrelas...

Depois de um Inverno com muito poucas doenças. No final da Primavera termina o tratamento profilático que faz para as bronquiolites e alergias e no início do Outono logo se vê.