terça-feira, 26 de maio de 2009

Peso

Fomos ao peso esta tarde: a Aninhas está com 2480Kg. Já pôs 440 gramas nestas duas últimas semanas em que viemos para casa. Recordo que nasceu com 2200, mas perdeu muito nos primeiros dias de vida, até ao 1.800Kg. Estamos a recuperar...me aguardem!!!

domingo, 24 de maio de 2009

Aninhas na maior

Por aqui está tudo óptimo: a Ana João continua a meter peso diariamente e já se nota maior e mais gordinha. Cada vez está mais tempo acordada, com uns olhos expressivos de fazer inveja a muitas miúdas. O cabelinho (a aninhas nasceu com algum cabelinho e pêlo que ainda não tinha tido tempo de cair) está a ficar mais ralo e ela cada vez mais clarinha.
Tem algumas cólicas, mas nada que os pais não resolvam com muito mimo e massagens na barriguinha. Até agora a Ana João tem estado sempre nos dois quartos (de noite no dos pais e durante o dia no dela). Ontem ao serão, como não conseguia dormir, esteve com os pais na sala a ver um filme...
A amamentação está a correr muito bem: come de três em três horas, mas muitas das vezes somos nós que a temos que acordar. De noite dorme, quando não tem fome mais cedo, de quatro em quatro horas.
Adora tomar banhinho e andar no sling (já demos umas voltas aqui por casa).
Amanhã a Ana João faria 37 semanas de gestação... se nascesse a partir de amanhã deixaria de ser prematura, mas até agora ainda seria, no entanto sexta-feira que vem já faz um mês de vida. O tempo passa mesmo rápido.
Terça-feira voltamos ao centro de saúde para a pesar (se bem que a tenho pesado diariamente em casa) e no dia 1 de Junho, temos consulta com no hospital de Abrantes, com o neonatoligista que a acompanhou. Pode ser que ele nos diga que já podemos dar umas voltinhas.

domingo, 17 de maio de 2009

Maravilhosas

Antes de mais quero pedir desculpa pela falta de noticias, mas o tempo agora é mais curto. Nós continuamos óptimas as duas. A mãe está de novo magrinha e a AJ está cada vez mais rechonchudinha. Já tem umas bochechas muito apetecíveis para dar beijocas e uns dedinhos cada vez mais gordinhos. É sinal que o leitinho da mãe é do bom..
Na sexta-feira fomos ao centro de saúde para pesar a pequena, que entretanto foi vista pela médica de família. Pesava, na balança do centro, 2040 kg (o mesmo que na terça-feira na balança do hospital). Um valor a não ligar, uma vez que as balanças diferem muito entre si. Terça-feira regressamos ao centro para ver a evolução da reguila.
A médica disse para até lá eu testar dar só mama à criança (como vos disse ela estava a mamar e ainda a beber suplemento de leito materno por biberão). Estamos desde sexta só com mama (e ela mama cada vez melhor) e aguenta sempre as três horas sem pedir mais.
Quarta-feira (para que a mãe não se canse de estar sempre em casa) temos que ir a Abrantes fazer duas ecos (marcadas pelo neonatologista que a acompanhou): uma à cabeça e outra às ancas (porque esteve sentada todo o tempo). No dia 1 de Junho temos consulta no hospital de Abrantes com o mesmo médico. Recordo que no dia 1 ainda era suposto a pequena não ter nascido... apressada ela!!!
Ela está cada vez mais desperta, mais atenta e mais vivaça. Tem uns olhos super expressivos e cada vez os mantém mais tempo abertos. Não é por ser minha filha (!!!), mas a miúda é mesmo linda e perfeitinha!!!

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Home sweet home

Olá, estou de regresso a casa. Na terça-feira, pelas 18 horas o médico mandou-nos para casa. Desde então estou em fase de organização e agora sim começo a ter uns momentos para respirar. O primeiro dia em casa não foi fácil, mas agora com as rotinas instaladas, tudo se torna mais mecanizado e mais simples. O pior mesmo são as noites. Como a Ana João é muito pequenina (nova querem eles dizer) tenho que a acordar de 3 em 3 horas para comer (QUERO DORMIIIIIR). Quando será que a posso deixar dormir até ela ter realmente fome???
Amanhã vamos ao centro de saúde, para pesar a pequena. Temos que ver se continua a crescer como quando saiu do hospital. Quero ver se lá me esclarecem algumas dúvidas sobre a alimentação. Neste momento a minha menina está a mamar e ainda a beber um suplemento (leite materno)... se passasse só a uma coisa já era bom, sempre tornava as horas das mamadas mais curtas e podíamos dormir mais os três.

A nossa vida tem sido assim: comer, dormir e mimos. Alguém pode querer melhor?

terça-feira, 12 de maio de 2009

Já tenho a escola toda

Esta temporada no hospital (recordo que faz amanhã 15 dias que aqui estou enfiada) traz algumas vantagens, a maior das quais eu sair daqui com a escola toda. Os enfermeiros já devem estar fartos de mim, porque estou sempre a fazer perguntas, mas tenho a certeza que quando for para casa não levo um terço das dúvidas que levaria se saísse directa da maternidade para o ninho. Sou já muito independente a tomar conta da minha princesa e pró em perceber se bebeu o suficiente, se tem cólicas e como as devo resolver, as variadas e melhores formas de dar de mamar, etc.
Posso sair daqui meio doida, mas saio com a escola toda sem dúvida.

domingo, 10 de maio de 2009

Cama

Ontem falei com o grande aqui da neonatologia. Disse-me que queria que a minha princesa aqui estivesse mais uns dias, para que ganhasse peso. "Vamos ver se até sexta tem alta", disse. Com este panorama, meti mãos à bagagem e fui até casa passar a noite, deixando a criança entregue ao simpático enfermeiro J. Dormi 9 horas (o que para mim aqui é muito) na melhor cama e almofada do mundo e com a melhor companhia que eu poderia ter. Só acordei uma vez a meio da noite, agarrada ao braço do pai, a sonhar que era a Ana João e que eu não lhe conseguia encontrar a cara. Quem sofreu foi o pai! Só lá faltava mesmo a princesa mais linda do mundo!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Ana João já é cidadã

Hoje fui registar a minha menina. Dirigi-me ao gabinete "Nascer Cidadão", no piso da maternidade de Abrantes e em dez minutos a minha menina já existe e já tem um número de BI. Assim que ela se conseguir aguentar hirta e com os olhinhos abertos mais tempo, vamos tirar o cartão do cidadão.

Ana João e a prisão da mãe

Olá, cá estamos nós. Continuamos no serviço de neonatologia do Hospital de Abrantes, onde continuamos a ser paparicadas por tudo e todos. Ontem acordei com uma boa notícia: "Mamã, vá buscar a roupinha, porque a Ana João vai para o berço".. É verdade, a minha princesa já saiu da incubadora e está desde ontem de manhã no berço.
Já hoje dois médicos me deram a entender que a alta estará por dias, mas eu não quero ter esperanças. Até porque também não quero que ela saia sem estar mesmo, mesmo, bem. Um deles disse para outra médica que a continuar assim, quando fizer 35 semanas (na próxima segunda) poderá ir para casa. Eu não disse nada. Fingi mesmo que não ouvi.
Mais tarde, outro médico perguntou-me: "Quando é que vai para casa?", ao que eu respondi que não queria saber. Ao que ele respondeu: "Já não deverá faltar muito"...

A alta da Ana João é um dos momentos mais desejados da minha vida: apesar de querer que ela só saia daqui quando estiver bem, por outro lado começo a estar esgotada desta situação. Entrei neste hospital na quarta-feira, 29 de Abril, pelas 18 horas e ainda aqui estou... as saídas, essas, contam-se pelos dedos: no sábado passado (como ainda não amamentava) fui dormir a casa e depois disso as saídas resumem-se a dois jantares fora com o pai e a tarde de hoje, em que entre duas mamadas fui ao centro de Abrantes. Como ainda não sei se posso conduzir, estou limitada às vindas do pai para sair daqui.
Hoje à tarde é que eu percebi bem o estado em que estou: não sei o que se passa no mundo à minha volta e não tenho qualquer assunto de conversa a não ser hospitais, médicos e as grandes aprendizagens que tenho tido sobre fraldas, cólicas, técnicas de arrotar, entre outras. Estou pálida de mais e senti-me deslocada do mundo exterior.Tive a sensação de que tudo estava diferente e eu isolada dessa evolução nesta grande prisão.

No hospital conheço os médicos, enfermeiros, auxiliares e funcionários todos. Quase todos já me conhecem. Conheço os métodos das trocas de turnos, já dou explicações aos que vão chegando sobre o modo de funcionamento disto. Todos me perguntam pela criança, todos sabem porque aqui estou. Enfim... a minha vida congelou e espero sair daqui para voltar a vivê-la.

Amo a minha menina, por ela faço tudo... prova maior não lhe poderia dar.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Evolução

Olá caras amigas. Aqui estou eu para vos dar mais notícias. Continuamos na neonatologia do Hospital de Abrantes (e aqui faço já a maior das homenagens a toda a equipa que acolheu e continua a acolher a minha princesa - médicos, enfermeiros, auxiliares: têm sido todos fantásticos e eu não sei como lhes agradecer o que estão a fazer pela AJ).

A minha menina está melhor a cada dia que passa. Ontem teve que fazer umas luzinhas, porque estava amarelita, mas até nisso está melhor e já deixou o solário.

De resto, os médicos são unânimes em dizer que ela é uma mulher e pêras e que está óptima. Não me dão muitas ideias sobre quando a ida para casa, mas eu também não quero saber. Quero é que ela esteja bem quando formos.
Unânimes são também em dizer que vamos passar umas boas noites sem dormir, pois "ela tem muita vitalidade" e que ela é muito reguila e será muito esperta e desenvolvida. Lá acham que se já é assim tão pequenina, quanto fará quando crescer. Venha ela...

Ontem foi um dia de muita evolução na nossa relação mãe-filha: começou a mamar (vamos aos poucos porque para já ela tem mais facilidade em beber o meu leite pelo biberão), as fraldas são já tarefa unicamente minha, bem como o banho. Como os meus afrontamentos ainda não terminaram, hoje ia dando banho de água gelada à minha pequena...o que vale é que a enfermeira pôs a mão primeiro!
Nada que não se resolva... O que interessa mesmo é que eu sou a mulher mais feliz do mundo e que estou a adorar ser mãe.

sábado, 2 de maio de 2009

sou mãe

Olá minhas caras companheiras de viagem.. agora sou mesmo eu que vos escrevo. Já tive alta da maternidade e agora estou na pediatria, pertinho da minha princesa. Como o pai já vos contou - e muito bem - a nossa princesa fartou-se da barriga da mãe e resolveu nascer com apenas 33 semanas. Mas não foram umas 33 semanas quaisquer: com 2.200kg e uns pulmões já muito bem desenvolvidos, em pouco tempo a nossa menina já não precisa de ajuda para respirar.
Está óptima e ao que parece já não precisamos de nos preocupar assim muito (pelo menos tanto como estávamos). Claro que terá que estar por aqui mais uns dias, até crescer mais qualquer coisa e se confirmar que está bem.

Só vos quero dizer uma coisa, especialmente às que, tal como eu, são mães de primeira viagem. É a melhor coisa do mundo e não custa nada ser mãe. E sou eu que vos digo, que tive uma cesariana de urgência e estive em pânico com medo do que poderia acontecer à minha menina.

Vou dando notícias, ou eu ou o pai. Um beijo grande e um muito obrigada pelos comentários.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Tudo bem encaminhado


Ora viva
Ao terceiro dia, a AJ já está a respirar de forma completamente autónoma. Praticamente já só precisa da incubadora para manter o ambiente (está na caixa com 32 graus de temperatura). Dá muitos pontapés, mexe muito as mãozitas, como se estivesse na barriga da mãe.
À parte disso, já não está a ser alimentada nem pelo cordão umbilical nem pela sonda que tinha na boquita. A mãe já está a contribuir com algum leite, e o soro, que é sempre uma alimentação fantástica, continua a ser administrado.
Mas hoje foi um dia muito especial, Estávamos muito contentes mas faltava uma coisa: abraçar a AJ. Hoje a nossa filha saiu da incubadora por instantes, e tivemos a oportunidade de a pegar ao colo. Que emoção...
Resumindo, está tudo bem encaminhado mas ainda não há prognósticos para quando o regresso a Torres Novas das duas princesas.
Hoje ficam com a imagem e mais um pezinho. São lindos...
Vou tentando manter o blogue actualizado, mas só tenho tempo à noite.
Pai